Sintam a alegria de quem ganhou de presente uma resenha do autor-amigo-comparsa-preferido. Atenuem os elogios, porque são 99% de carinho, gentileza e generosidade dele. Mas por favor entendam minha efusividade, porque achei o máximo o que ele escreveu! 😊😊😊

Ah! E pra quem tá na ansiedade pela contagem dos votos para prefeito, dá tempo de comprar a versão digital do Bode Jurídico e ler antes de saber quem será o próximo – porque não estamos nos Estados Unidos. Senão, daria pra ler a minha trilogia e ainda sobraria tempo. 😀

Link para venda nos comentários.

“IVY CASSA E NOSSOS BODES

Ivy Cassa brilha entre minhas autoras e meus autores favoritos e eu acabo de concluir a leitura da sua obra mais recente, “Bode Jurídico”.

Ivy é uma excelente autora.

Quem nos conhece poderá desconfiar de alguma influência da nossa amizade no meu juízo a respeito da sua obra; é claro que o fato de gostar muito da minha amiga ajuda, é evidente que a menção carinhosa com que ela me presenteia quase no final do texto deixa-me tocado, por que não seria assim?

A qualidade do livro, no entanto, transcende tudo isso.

Eu reconheço de pronto a escrita da Ivy Cassa porque ela me é tão inconfundível quanto um solo de violão executado pelo Toquinho. Eu não preciso ser alertado a respeito.

Considero mesmo o “Bode Jurídico” uma leitura necessária, sobretudo para quem trafegue por este Teatro do Absurdo que é o mundo jurídico, com ênfase para o cenário da advocacia e destaque para a grande advocacia empresarial.

Sim, Ivy Cassa é quase IONESQUIANA ao tratar do tema, ao descrever com fidelidade o ambiente transtornado pelas mais mesquinhas concorrências desleais, pelo machismo e pela misoginia que se expressam através da insensibilidade e das caricatas ambições malsãs mescladas com a frivolidade punitiva de clientes e colegas.

É um texto sincero e delicadamente devastador.

Ivy Cassa brilha não só como a excelente escritora que é, não apenas como a advogada talentosa e competente que vem sendo nestes vinte anos da sua carreira, mas ela fulgura na minha particular galeria de mulheres admiráveis, aquelas que, justamente por serem admiráveis, habitualmente despertam raiva e crueldade em boa parte dos homens e, não obstante, resistem às feridas provocadas pelos golpes traiçoeiros que estes desfecham, como crianças perversas a matarem beija-flores com seus estilingues, eis a triste descrição à qual boa parte de nós, homens, infelizmente fazemos jus.

A minha galeria de mulheres admiráveis me é fundamental na busca que empreendo com o objetivo de ser um homem melhor no tempo que me resta. São tantas a serem mencionadas, entre célebres e desconhecidas do “grande público”! Ivy Cassa é minha homenageada de hoje.

Quem puder, leia o “Bode Jurídico” e entenderá a razão.”

Por Antonio Carlos Alves Pereira, Fredão, autor de “Istmo” (quase saindo do forno)